Autoajuda? Pode sim.

novembro 11, 2016



Faz um tempo que venho reparando num certo preconceito com materiais de autoajuda e motivacionais.
Os livros ficam lá quietinhos e ninguém é obrigado a ler. 
Os vídeos e as imagens motivacionais, também. 
Então por que raios incomodam tanto?
Fui lá catar no Google o que seria a auto-ajuda e achei aqui algumas, das quais a que mais gostei foi:
Autoajuda: Prática baseada na utilização de seus próprios meios intelectuais para obter seus objetivos, metas ou solucionar problemas de cunho emocional, pessoal ou psicológico.
Tem gente que precisa de ajuda pra se encontrar e tem gente que não precisa. Cada um com seu cada um.
Tem livros que são uma baita enrolação e passam a perna falando mais do mesmo e ainda assim vendem mais que água no deserto? Existem sim. Mas pelo pouco que eu sei isso não é só nessa "categoria" e nem é só com livros.
Eu estava em uma livraria dia desses e uma moça queria comprar um livro do gênero "mais odiado", a pessoa que a acompanhava não pestanejou e lançou: "isso aí é autoajuda, não leio nunca!".
Percebi o desconforto da coitada que queria comprar o livro e até saí de perto. Não sei se ela comprou ou não.
minha cara foi mais ou menos essa aí mesmo haha
Afirmar que não iria ler nunca, ok. Super normal alguém não querer ler um livro, mas pra que desmerecer o coleguinha? Há necessidade disso?
Fico pensando quantas pessoas se beneficiaram com materiais classificados como tais e no tanto de pessoas que poderiam se beneficiar se abandonassem essa ideia de catalogar tudo.
Não estou nem aí que seja autoajuda, se me faz bem eu assisto, leio e ouço mesmo. 
Há bons profissionais que desenvolvem materiais de modo sério e salvam vidas e estão jogados no "poço" da autoajuda e muitos nunca vão ler simplesmente porque muitas pessoas dizem que isso não presta.
Você, amigo que, assim como eu, adora aquelas frases motivacionais de manhã que parece que foram escritas especialmente pra nós, vou te contar uma coisa: está tudo bem.
Dá cá um abraço que isso não é crime e não precisa ter vergonha não!
Tá mais do que liberado ler o que nos faz bem.
Vamos em frente. 

Continue na trilha

2 comentários

  1. Acho que a pessoa não se tocou que foi indelicada com a coleguinha. Às vezes (ou muitas vezes) a gente fala sem pensar e só tá interessado no que nós mesmos sentimos. Infelizmente isso acontece direto, mas a gente vai aprendendo a ser mais maleável e dar umas indiretas diretas pra pessoa sacar que foi meio grossa rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ter sido sim. Vai saber, né? haha
      Todos nós estamos aqui aprendendo mesmo, Claudinha.
      Beijos ❤

      Excluir

Me diz o que você achou desse post? :D

Wishlist