Caderno da Gratidão

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017


6 de janeiro, Dia da Gratidão.
Eu não fazia a menor ideia que hoje era o dia da gratidão. A verdade? Eu nem sequer sabia que havia um dia pra isso! Mas gostei de saber. É digno! haha
Fiquei sabendo hoje mais cedo e resolvi colocar em prática o que eu vinha adiando um tempinho: re-começar meu caderno da Gratidão.
Comecei a adiar porque queria um "caderno perfeito" com uma capa especial e não sei mais o quê. É válido, afinal é uma coisa importante. Acontece que eu nunca achava o tal caderno, nunca nenhum caderno parecia ser o que eu queria.
Como a gente inventa desculpas absurdas pra ficar adiando as coisas às vezes, né?
Então olhei pra um caderninho que estava aqui na gaveta e falei: chega de adiar, já que hoje é um dia "tematicamente" favorável, e eu senti no coração que devo, eu vou começar!
Cadernos da Gratidão não tem muitas regras. É só escrever com o coração sobre o que somos gratos no dia em questão.
Tem dias que a gente acha que tudo foi ruim, não lembra mesmo de olhar pro lado bom. Somos humanos e ninguém é feliz o tempo todo. Bom, eu nunca conheci alguém assim.
Acredito que esses dias, os não tão bons, são os melhores dias para sentar e ler quantas coisas boas já aconteceram. Receber aquele alívio de saber que sim, sempre tem algo pra agradecer.
Então aqui vou eu, nesse caminho ainda bem no comecinho, tentando ver o mundo de um jeito cada vez mais positivo.
Gratidão é quando a alma diz obrigado.

O dia que saí de casa com 1 pé de cada chinelo (pela segunda vez)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017


Certa vez eu escrevi um post, no meu blog anterior, contando sobre ter saído de casa com um pé de cada chinelo (ou rasteirinha como as pessoas gostam de falar) uma vez.
Aquela experiência foi bem engraçada. Na hora fiquei meio envergonhada, mas depois pensei: ok, tá trocado, eu vou fazer o que? Tenho que continuar o que vim fazer.
Andei por vários lugares e ninguém reparou e nem falou nada. Nem sequer riram da minha "pequena" falta de atenção.
Ontem, lá foi a Viviane sair de casa e, porque ía pegar uma carona e estavam com pressa, acabou fazendo confusão mais uma vez. 
Odeio que me apressem, mas enfim. 
E somente quando cheguei no portão da casa dos meus afilhados reparei que estava com um pé de cada chinelo. Fui obrigada a dar uma gargalhada sozinha. 
De novo? Sim, de novo!
Passei um tempo lá conversando e depois de alguns momentos notei que meu afilhado menor também estava com os chinelinhos trocados. haha
Rimos da situação, aqui em casa temos a mania de brincar falando "os afilhados puxam os padrinhos".
A verdade, meus caros, é que os melhores lugares são aqueles onde a gente pode ser quem de fato é. 
Errar todos nós erramos.
O importante é não cobrar tanto, dar espaço ao riso, a leveza... 
Aí o mundo fala com a gente: está tudo bem sair com um pé de cada chinelo, está tudo bem sair sem maquiagem, está tudo bem prender o cabelo torto ou sair sem se pentear, está tudo bem, principalmente, ser quem somos. 
Sempre vão existir pessoas com alma que combina com a nossa e saber disso é um abraço no coração, não?

10 livros para 2017

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Eita que 2017 chegou e a vontade de escrever e as ideias para posts estão fervendo aqui na cabeça!
Para esse ano resolvi não fazer aquela listinha com metas pois não estava com cabeça pra pensar nisso. 
Em 2016 eu estava mais com a mente focada pra aproveitar só o hoje e até que deu certo. 
Isso não quer dizer que eu não vá fazer listas futuramente. Eu me conheço bem! haha
Bom, a única que lista que tive real vontade de fazer foi a de leitura para ter em mente os livros que eu quero muito ler e não acabar esquecendo os coitados nas paixonites que surgem quando novos livros são lançados. 
Acho que 10 é um bom número, mas vou tentar ir além. 
Aqui estão os escolhidos: 💗

  1. A história da Mitologia para quem tem pressa - Mark Daniel
  2. A improvável teoria de Ana e Zak - Brian Katcher
  3. A mágica da Arrumação - Marie Kondo
  4. Ansiedade: Como Enfrentar o Mal do Século - Augusto Cury
  5. Trono de Vidro - Sarah J. Maas
  6. Mas você vai sozinha? - Gaía Passarelli
  7. Eu sou Malala - Malala Yousafzai
  8. Em algum lugas nas estrelas - Clare Vanderpool
  9. Adulthood Is A Myth - A Sarah's Scribbles Collection - Sarah Andersen
  10. A rebelde do deserto - Alwyn Hamilton
Espero muito que eu consiga completar a lista. E vocês quais livros mais querem ler esse ano?