4LESSONS - Julho2020

sexta-feira, 31 de julho de 2020

Depois de uma das muitas pausas, volto com os aprendizados do mês.
Me arrisco a dizer que esse foi um dos meses mais complicados que eu já passei desde que me entendo por gente.
Mas tudo tem um lado bom. Pelo menos é o que eu sempre tento ver.
E cá estão as coisas que (re?-)aprendi esse mês:

1- Conectar mais do que com palavras.

Eu sou uma pessoa que ama a escrita. Desde que a internet então acho que já devo ter escrito uns 300 livros de tanto que escrevo. No celular, no PC, no Tablet, nos jogos... eita nós!
E ainda que no celular cheguem mensagem, esse mês mais do que nunca eu senti vontade de ouvir a voz das pessoas que eu amo e que não estou podendo ver e quanta diferença isso faz... meu Deus do céu! A energia é outra! É como se eu estivesse mais perto de cada um e isso em fez muito bem, me senti mais viva e mais feliz também.

2- Falar mais com Deus 

Esse mês comecei algo que já tinha ouvido falar, mas não tinha tentado ainda: o Evangelho no Lar que é algo que segundo o que sei vem da doutrina Espírita.
Sou uma pessoa que não tem uma religião específica. Amo, respeito e sigo preceitos de várias por acreditar que integrar conhecimentos é um bom caminho para mim.
Pois bem. Acabei me lembrando de quanto eu ía para o catecismo e líamos as passagens na bíblia e comentávamos sobre algumas coisas. É algo que tem me feito tão bem, mas tão bem!
Um momento para ler, escrever e discutir sobre ensinamentos sobretudo sobre o amor.
Me fazia falta esses momentos com Deus. É bom voltar.

3- Limpeza é uma maravilha

Que coisa maravilhosa é o aspirador de pó. Virou o meu segundo melhor amigo na hora da faxina (o primeiro ainda é o celular tocando minhas playlists doidas é claro)!
Uma das coisas que me dão alergia é a poeira é toda vez que eu varria meu quarto era um sofrimento. Meus problemas tiveram uma solução: o bendito aspirador.
Eu já usava um pequeno para limpar o notebook, mas agora temos um grande aqui em casa. Que maravilhosidade! 
Como é que eu vivi tanto tempo sem uma bugiganga revolucionária dessa?

4- Cortar meu próprio cabelo é divertido e libertador

Há meses eu estava com vontade de cortar meu cabelo e quem sempre cortou para mim foi minha mãe. Como ela não está mais aqui eu tive que me "virar". 
A parte da frente eu sempre ajeitada, mas no comprimento sempre era a minha mãe que ajudava. 
Vi uns 10 vídeos no youtube. Adiei umas 5x até que finalmente um dia eu resolvi e cortei.
Que libertação foi me livrar daquele peso que não queria mais e também ter a alegria de saber que eu posso cortar meu próprio cabelo.
No dia seguinte pedi minha prima pra ver se estava certinho e, pra minha surpresa quase não precisou acertar nada.

Que agosto seja cheio de coisas boas e aprendizados pra todos nós.

Postar um comentário

Me diz o que você achou desse post? :D